Varizes: cuidado ao usar cintas abdominais!

TEMPO DE LEITURA: 2 MINUTOS

Muitas pessoas (mulheres, principalmente) usam cintas abdominais para diferentes fins, como afinar a cintura ou parte de um procedimento pós-cirúrgico. O acessório é, de fato, útil, mas precisa ser usado de forma correta, ou seja, sem apertar demais. Caso isso ocorra, o usuário pode desenvolver problemas, como má circulação sanguínea, resultando no aparecimento de varizes.

Efeito de cintas abdominais apertadas para a formação de varizes

“O uso de cintas abdominais muito apertadas e por longos períodos pode prejudicar a circulação por aumento da pressão intra-abdominal. Com isso, pode levar ao aparecimento de varizes e vasinhos”, afirma o angiologista Rodrigo Fukushima. Essa pressão abdominal afeta diretamente vasos importantes que se estendem até os membros inferiores e que permitem que o sangue saia desta região e vá para o coração.

Conforme explica o especialista, as veias dos membros inferiores confluem pelas veias ilíacas até formarem a veia cava na região abdominal. Esta é uma veia grossa, com trajeto abdominal e torácico que desemboca no coração. “O uso de cintas abdominais muito apertadas pode comprimir esta via de drenagem, dificultando o retorno venoso dos membros inferiores, o que acaba resultando em varizes e vasinhos”, completa Fukushima.

Nem todo traje apertado provoca varizes

Além das cintas, outros itens também podem provocar o mesmo efeito. Calças muito apertadas, por exemplo, também comprimem a região abdominal e da virilha, prejudicando o retorno venoso dos membros inferiores. “Da mesma forma, trajes que exerçam compressão exagerada na região dos joelhos podem dificultar o retorno venoso das pernas, causando varizes abaixo dos joelhos”, afirma o angiologista.

Por outro lado, existem trajes que, mesmo apertadas, não aumentam o risco de varizes pela maneira que a pressão é colocada no corpo. “Quando a pressão é exercida de maneira homogênea, não há prejuízo para a circulação. As meias de compressão exercem pressão nos membros inferiores de forma homogênea e graduada. Além de não causar varizes, são extremamente eficientes e recomendadas no seu tratamento”, conclui Fukushima.

 

Dr. Rodrigo Bono Fukushima é angiologista e cirurgião vascular especializado em flebologia estética, formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). É especialista em cirurgia vascular, angiorradiologia, cirurgia endovascular e ultrassom vascular pela Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV). CRM: 125030

Foto: Shutterstock

FazfarmaNet

A FazfarmaNet segue as determinações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Somente o médico está apto a diagnosticar qualquer problema de saúde e prescrever o tratamento adequado Farmacêutico Responsável: Dr. Jonas de Oliveira | CRF/SP - 9384 | CEVS: 354880701-477-000057-1-1 | Autorização MS: 1.37.624-1