Sintomas de gravidez: quais são os primeiros sintomas?

TEMPO DE LEITURA: 8 MINUTOS

A gestação é uma experiência única para cada mulher, muitas apresentam todos os sintomas considerados comuns, de forma mais leve ou intensa.

No entanto, existem mulheres que sequer vão notar o início do período gestacional, pois não apresentaram nenhum indício. Muitas vezes, inclusive, essas mulheres associam os sinais ao começo do ciclo menstrual, devido a semelhança de alguns sintomas.

Então, como saber se os sintomas indicam, realmente, o início de uma gestação?

Quais os sintomas de gravidez mais comuns? 

Muitos dos sintomas apresentados no início da gravidez são semelhantes aos que a mulher sente no início do ciclo menstrual.

Os sintomas mais comuns no início da gravidez são cólicasenjoonáuseas (com ou sem vômito), sensibilidade nas mamas, cansaço, sonolência, oscilação de humor e o mais indicativo de todos: o atraso menstrual.

No entanto, é importante ressaltar que não há uma regra em relação a presença desses sintomas específicos, ou seja, existem mulheres que podem apresentar todos eles, porém há outras que não.

Para se ter ideia, nem mesmo o sintoma considerado a maior evidência de gravidez (atraso menstrual) ocorre com todas as mulheres, pois há a possibilidade da mulher ter pequenos sangramentos que, em geral, podem ser confundidos com o início do ciclo menstrual. 

No entanto, esse pequeno sangramento no início de uma gestação não deve ser tido como normal, visto que é algo que acontece em casos raros, podendo ser devido à implantação do embrião no útero ou a problemas mais graves.

Para que não haja dúvidas, a mulher pode realizar um teste de farmácia que permite saber se está grávida ou não de maneira mais rápida. E caso se confirme, deve-se consultar um ginecologista para realizar o exame de sangue em um laboratório clínico para atestar definitivamente a gestão e iniciar os cuidados pré-natal.

De forma geral, os sintomas mais comuns da gravidez ocorrem em virtude de variações hormonais e alterações mecânicas que ocorrem no corpo com o intuito de promover o desenvolvimento do óvulo fecundado. Confira alguns deles:

Cólicas

As cólicas são comuns a muitas mulheres durante o período pré-menstrual, porém, também podem ser um dos primeiros sintomas que surgem no início da gestação.

Isso ocorre em virtude do movimento de expansão do útero para que ele seja capaz de acomodar o óvulo fecundado.

Para identificar se é uma cólica comum pré-menstrual ou de gravidez, é necessário que a mulher preste atenção à intensidade com que ela se manifesta.

A cólica classificada como um sintoma de gestação costuma ser mais tranquila e não causar muito incômodo, diferente daquela que ocorre antes da menstruação.

Outro modo de reconhecer a cólica gestacional é observar o tempo de duração, pois quando se trata de gravidez, ela costuma persistir mesmo após o atraso menstrual, diferente da cólica que ocorre antes do início do ciclo menstrual, que costuma durar somente alguns dias. 

Enjoo e náuseas

Enjoos e náuseas, principalmente ao amanhecer, são sintomas muito populares de gestação e costumam ocorrer entre a 2ª e 8ª semana após a concepção. 

Embora sejam muito comuns, não incomodam todas as grávidas da mesma forma, sendo possível algumas terem enjoos leves ou intensos (causando até mesmo crises de vômito), que acontecem somente pela manhã ou ao longo do dia.

Ainda, durante essa fase, a mulher fica mais sensível a alguns odores e pode ter mais dificuldade em reconhecer os verdadeiros sabores dos alimentos.

Em geral, os enjoos e náuseas matinais desaparecem após a 8ª semana. Porém, há mulheres que seguem apresentando esses sintomas até o terceiro trimestre de gestação.

Corrimento vaginal

Devido ao aumento do hormônio estrogênio no corpo da mulher, é comum que ocorra um pequeno corrimento vaginal com aspecto semelhante a um musgo, com coloração clara ou esbranquiçada e sem cheiro no início da gestação. 

Então, o corrimento vaginal não é considerado um motivo de preocupação para a grávida.

Mas caso o corrimento apresente outra aparência e, em conjunto, a mulher sinta dores na vagina, é preciso consultar um(a) médico(a), pois pode ser um caso de infecção bacteriana ou fúngica — como candidíase, gonorreia, vaginose bacteriana, entre outras alterações. 

Sensibilidade nos seios

Durante as primeiras semanas de gestação, a mulher pode notar que suas mamas estão inchadas, doloridas e sensíveis ao toque, o que ocorre devido ao aumento de hormônios (progesterona e prolactina) que estimulam o crescimento das glândulas mamárias.

Além disso, pode ocorrer um escurecimento das aréolas, em virtude do fluxo sanguíneo na região, que está maior.

Cansaço e sonolência

A sensação de cansaço e o excesso de sono são sintomas que podem ocorrer no início da gestação. São provocados pelo aumento da progesterona, um hormônio responsável por cuidar do metabolismo até que a placenta esteja completamente formada. 

A progesterona desempenha diversas atividades no organismo da mulher durante a primeira fase de gestação, o que demanda muita energia metabólica e, consequentemente, pode causar essa exaustão na grávida. 

É esperado que após a formação da placenta (ocorre no início do segundo trimestre de gestação), esses sintomas desapareçam. No entanto, eles costumam voltar quando a mulher chega ao terceiro trimestre, ou seja, a fase final da gestação.

Nesse caso, isso se dá devido ao excesso de peso que a mulher tem que carregar diariamente, visto que o líquido amniótico (6 a 8 quilos), a placenta e o útero juntos (2 quilos) e, é claro, o bebê (3 quilos) pesam em torno de 13 quilos.

Alteração de humor 

A oscilação de humor, que afeta muitas mulheres durante a tensão pré-menstrual (TPM), também é um sintoma comum de gravidez. 

Os responsáveis por essa oscilação são os hormônios progesterona e estrogênio, que durante esse período se encontram muito elevados no organismo.

No entanto, além das alterações hormonais, outros fatores podem gerar “desordem” nas emoções. Por exemplo, as dores causadas em regiões do corpo (seios, abdômen, cabeça, etc) devido às transformações físicas. 

Ademais, a pressão psicológica em virtude da nova vida a ser gerada e mudanças nas relações interpessoais da nova mãe, também são motivos para que haja alteração de humor.

Aversão a cheiros fortes e mudanças no paladar

É normal que no início da gestação a mulher sinta repulsa ao sentir o cheiro (mesmo que agradável) de perfumes, alimentos ou produtos que antes da gravidez não a incomodavam.

Além disso, podem ocorrer alterações no paladar da nova mamãe, fazendo com que ela não reconheça o gosto de alimentos ou associe um sabor diferente do que realmente é. 

Mas vale destacar que essas alterações no olfato e paladar são comuns devido à oscilação hormonal, que está em alta durante esse período no organismo feminino.

Atraso menstrual

O atraso da menstruação é considerado o sintoma mais significativo no início da gestação, já que o ciclo menstrual é imediatamente interrompido quando organismo identifica presença de óvulo fecundado.

Por isso, quando o ciclo menstrual atrasa mais de 5 dias (até mesmo 1 semana), há grandes chances da mulher estar grávida.

No entanto, em alguns casos o atraso menstrual não acontece e a mulher pode ter um pequeno sangramento, o que ocorre em virtude da implantação do óvulo fecundado no útero (nidação). 

Quando isso ocorre, é comum que esse pequeno sangramento seja confundido com o início da menstruação, o que leva a mulher a desconfiar de uma gravidez de maneira mais tardia do que o normal (especialmente quando ela não apresenta nenhum outro sintoma de gestação). 

Apesar dessa situação parecer inofensiva, descobrir uma gestação tardiamente afeta todos os procedimentos ginecológicos e obstétricos que devem ser feitos durante a gravidez, podendo causar complicações à saúde da mulher e do feto. 

Tem como estar grávida e não ter sintomas?

É uma exceção dentre a maioria dos casos, mas a mulher pode sim estar grávida e não sentir nenhum sintoma inicial de gestação.

Embora não seja comum, é possível sim estar grávida e não sentir nenhum dos sintomas convencionais no início da gestação.

Isso ocorre em virtude da sensibilidade da mulher aos hormônios da gravidez, principalmente o HCG (gonadotrofina coriônica humana), que costuma ser responsável pela maioria dos sintomas.

Sendo assim, quanto mais vulnerável for o organismo da mulher à atuação dos hormônios, mais suscetível ela está aos sintomas comuns da gestação.

Outra situação que pode ocorrer é a mulher não notar os sintomas, já que eles são muito semelhantes aos que ocorrem durante a tensão pré-menstrual.  

Em caso de suspeita, é recomendado realizar um teste de gravidez, podendo inicialmente fazer um de farmácia. Porém a consulta com um ginecologista é fundamental, inclusive quando o teste já indica positivo para a gravidez.

A partir disso, serão solicitados novos exames e deve iniciar o acompanhamento pré-natal.

O que sente na barriga no início da gravidez?

No início da gravidez, é comum que a mulher apresente um inchaço na parte inferior do abdômen e um desconforto semelhante à cólica.

Esse incômodo pode ser devido ao aumento de fluxo sanguíneo e hormonal no local ou, ainda, em virtude das diversas modificações que estão ocorrendo para que o óvulo seja implantado no útero

Outra causa comum de inchaço e incômodo é a constipação intestinal, comum na gravidez.

A constipação pode ocorrer em função do acúmulo de gases e fezes no intestino, visto que durante esse período o organismo da mulher pode ter mais dificuldade para digerir alguns alimentos, fazendo com que ela não consiga evacuar adequadamente.

Essa dor na região abdominal costuma ser leve, mas pode persistir por alguns dias (sendo uma forma de diferenciar o sintoma de uma cólica menstrual).

No entanto, a cólica no início da gravidez pode indicar a presença de outros problemas, como gravidez tubária, que é quando o óvulo fecundado não consegue chegar ao útero e assim permanece nas trompas uterinas (provocando dor).

Nesse caso, se o problema não for diagnosticado a tempo, pode levar a uma crise hemorrágica e, por consequência, a um aborto espontâneo.

Sendo assim, para evitar complicações que coloquem em risco a saúde da mãe e do bebê, é muito importante visitar o ginecologista assim que esse desconforto surgir.     

Quando é que aparecem os primeiros sintomas de gravidez?

Os primeiros sintomas de gravidez costumam surgir após a implantação do óvulo fecundado no útero, pois a partir daí o nível de hormônios (progesterona, estrogênio, HCG, prolactina, testosterona) presentes no organismo da mulher começa a aumentar.

Normalmente a implantação (fase chamada de nidação) ocorre entre o final da 3º semana e o início da 4º semana de gestação. Então, é a partir desse período que costumam se iniciar os sintomas.

Mas não é uma regra, pois há mulheres que podem sentir as alterações mais cedo ou mais tarde e outras que podem não apresentar nenhum sintoma.

Posso ter sintomas de gravidez nos primeiros dias de fecundação?

Há alguns fatores que justificam o aparecimento de sintomas de gravidez mais tardiamente, como o espermatozoide demorar até cinco dias para encontra o ovulo e fecundá-lo.

Habitualmente, não é comum ter sintomas de gravidez logo nos primeiros dias de fecundação, visto que os sintomas costumam surgir após 2 ou 3 semanas da relação sexual que gerou o óvulo fecundado.

O que justifica isso é que a fertilização não é instantânea, ou seja, na maioria dos casos o espermatozoide (célula sexual masculina) irá demorar de 1 a 3 dias (até 5) para encontrar o óvulo e fecundá-lo. 

Quando isso finalmente ocorre, o que irá surgir são sintomas característicos da ovulação: seios sensíveis, dor na região pélvica (semelhante a cólicas), pequeno sangramento, entre outros. 

Mas não são indícios da fecundação em si, já que ela é considerada um processo silencioso e que não provoca nenhuma alteração significativa.

Outro fator que explica a ausência de sintomas nos primeiros dias é que eles, em geral, só aparecem após a implantação do óvulo fecundado no útero. Evento que acontece somente após 1 ou 2 semanas de fertilização.

Por isso, até que todo esse processo (óvulo implantado no útero) esteja concluído, a mulher provavelmente não terá sintomas. 

Para garantir uma gravidez saudável à mãe e ao bebê, além de identificar os sintomas que indicam uma gestação logo no início, é importante procurar um ginecologista o quanto antes e realizar todos os procedimentos necessários.

FazfarmaNet

A FazfarmaNet segue as determinações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Somente o médico está apto a diagnosticar qualquer problema de saúde e prescrever o tratamento adequado Farmacêutico Responsável: Dr. Jonas de Oliveira | CRF/SP - 9384 | CEVS: 354880701-477-000057-1-1 | Autorização MS: 1.37.624-1