Bioimpedância como é e para que serve o exame? Quanto custa?

TEMPO DE LEITURA: 7 MINUTOS

Muitas pessoas buscam formas de emagrecer com saúde ou cuidar do corpo, melhorar a performance física ou apenas ter um conhecimento melhor de como andam os percentuais de gordura e músculo.

As orientações para cuidar de cada corpo são sempre individuais. Então, as avaliações físicas são sempre fundamentais, tanto para um acompanhamento físico quanto médico.

Por isso, o exame de Bioimpedância é um grande aliado de profissionais especialistas em endocrinologia, educação física, estética e nutrição. De forma que atua possibilitando uma análise mais facilitada de cada organismo. Confira mais informações:

O que é o exame de Bioimpedância elétrica?

O exame de Bioimpedância avalia, a partir de uma balança específica com corrente elétrica (de baixa amplitude e alta frequência), a quantidade de gordura corporal, massa muscular e outras características corporais.

Trata-se de um procedimento totalmente indolor e não invasivo, além de ser rápido e seguro.

Esse método substitui as tradicionais fita métricas, adipômetros, balança comum e o cálculo manual de IMC (índice de massa corporal). Com isso, facilitando os processos.

De forma geral, esse exame é realizado em avaliações físicas ou consultas com profissionais especializados(as) na área de nutrição. O que é feito a fim de possibilitar uma avaliação completa de seu estado nutricional e o funcionamento de seu organismo.

Esses resultados possibilitam que seja feita uma dieta e rotina personalizada para cada indivíduo, de acordo com suas características. Assim, tornando o tratamento ou treinamento mais eficaz, saudável e dinâmico.

Na sequência, você pode entender melhor quando esse exame é solicitado, o que ele mede e outras condições específicas para sua realização:

Para que serve?

A avaliação por meio do exame de Bioimpedância tem como objetivo apresentar dados mais completos — fornecendo informações que não poderiam ser obtidas através da balança tradicional.

Considerando que esse procedimento é realizado por pessoas em diferentes circunstâncias (tanto para saúde quanto estética), trata-se de uma ferramenta importante ao(à) profissional. 

De forma que, a partir dos dados fornecidos, é possível acompanhar mais detalhadamente a evolução do(a) paciente — o que pode ser feito por endocrinologistas, pediatras, nutricionistas, etc.

Além disso, também possibilita entender o funcionamento do metabolismo e a distribuição da gordura. Consequentemente, torna mais fácil saber qual rumo seguir com relação a treinamentos físicos, alimentação, etc.

É comum, ainda que o exame seja solicitado com as seguintes finalidades:

  • Avaliação da composição corporal em atletas;
  • Acompanhamento de resultados da suplementação alimentar (adultos e crianças);
  • Medir o estado de sarcopenia — processo natural e progressivo de perda de massa muscular devido ao envelhecimento;
  • Acompanhar pacientes de cirurgia bariátrica (pré e pós operatório);
  • Analisar as condições antes da colocação de balão intragástrico.

Com qual periodicidade deve ser feito?

Normalmente, o(a) profissional responsável pela solicitação do exame é quem vai decidir a periodicidade com que deve ser feito — analisando com base em cada caso.

Porém, de maneira geral, recomenda-se esperar um período de 30 dias entre a realização de cada exame de Bioimpedância. Assim, permitindo analisar de forma mais claras as possíveis alterações corporais que possam ter ocorrido.

O que o exame de Bioimpedância mede?

De maneira específica, os(as) profissionais que trabalham com o exame de Bioimpedância, indicam que ele realiza 18 leituras: 8 de corpo inteiro e 10 segmentares (braços, pernas, tronco). 

A partir dessas leituras, esse procedimento entrega os seguintes dados:

  • Porcentagem real de gordura corporal;
  • Peso real em relação ao percentual de peso de gordura;
  • Quantidade total de água corporal;
  • Massa magra de cada segmento corporal;
  • Taxa metabólica basal — equivale às calorias gastas diariamente;
  • Índice de massa corporal (IMC);
  • Percentual de massa óssea;
  • Percentual de gordura visceral — gordura intra-abdominal, que se “mistura” aos órgãos dessa região;
  • Idade metabólica — ou seja, a idade que corresponde ao funcionamento do seu metabolismo;
  • Relação da cintura/quadril e associação com risco cardíaco.

Lembrando que o exame faz todas essas medições levando em consideração, também, a diferença entre faixas etárias, altura e gênero.

Por fim, todos os dados obtidos a partir do exame são direcionados a uma tabela, a partir da qual o(a) profissional poderá analisá-los de maneira conjunta. Ou seja, nenhum dado é avaliado à parte, mas sim como um todo.

Como é feito o exame de Bioimpedância?

Existem diferentes formas de realizar o exame de Bioimpedância, mas em todas é feita a colocação de dois pares de eletrodos — posicionados nas mãos e nos pés da pessoa.

Quase sempre é utilizada uma balança de bioimpedância. Nesse caso, a pessoa precisa posicionar-se corretamente e seguir as instruções do(a) profissional, para garantir um resultado correto.

Considerando que não se trata de um método invasivo, pode ser realizado em clínicas, consultórios e até mesmo em academias. Lembrando que se trata de um procedimento totalmente indolor e feito em questão de minutos.

Vale destacar que, considerando que o aparelho emite uma corrente elétrica, é preciso retirar anéis, colares, relógios e qualquer item que possa interferir no resultado do exame.

Além disso, alguns profissionais recomendam também que a pessoa se mantenha deitada em repouso por cerca de 10min antes da realização do procedimento.

Aparelho de bioimpedância: quais os tipos de balança?

Conforme mencionado, existem diferentes formas de realizar o exame de Bioimpedância, bem como diferentes aparelhos disponíveis.

Esses, podem variar entre o número de eletrodos e a posição em que eles são colocados. No geral, utiliza-se o posicionamentos “mão-mão” ou “pé-pé” em domicílio, considerando a maior facilidade de que a pessoa consiga posicionar os eletrodos de maneira correta.

Além disso, os aparelhos de Bioimpedância podem variar de acordo com a região do corpo que é submetida ao exame. Por exemplo, classifica-se como “regional” quando a corrente elétrica passa apenas pela parte superior ou inferior do corpo.

Isso ocorre quando os eletrodos são colocados apenas nas mãos ou apenas nos pés.

Mas também pode ser do tipo “total”, em que a corrente elétrica atravessa o corpo todo. O que é possível quando os eletrodos são posicionados tanto nas mãos quanto nos pés, a partir do auxílio do(a) profissional.

Além disso, há o método segmentar — quando o eletrodo é posicionado de forma a avaliar apenas um segmento ou membro do corpo.

Por fim, vale destacar que os aparelhos de Bioimpedância podem variar de acordo com sua frequência: pode ser única (50 kHz) ou multifrequencial (variando entre 5 e 1000 kHz).

Quem não pode fazer?

Apesar de ser um procedimento bastante seguro, o exame de Bioimpedância é realizado através da corrente elétrica e, mesmo que seja leve, ela pode causar complicações para determinados grupos.

Por isso, pessoas nas seguintes condições não devem realizar esse procedimento:

  • Gestantes;
  • Portadores(as) de marcapasso;
  • Pessoas que tenham, em seu corpo, algum pino, placa ou prótese.

Em caso de dúvidas, busque e siga a orientação de um(a) especialista, a fim de realizar o método mais seguro para o seu caso.

Vale destacar, ainda, que não é recomendado que mulheres realizem o exame durante o período menstrual — pode gerar interferência nos resultados, considerando que o organismo tende a reter água (ou seja, ficar inchado).

É necessária alguma preparação? O que não fazer antes da bioimpedância?

Diferente dos exames laboratoriais ou de imagem, o exame de Bioimpedância não carece de grandes cuidados prévios — como o uso de medicações, jejum por longos períodos, etc.

Entretanto, os(as) profissionais costumam solicitar alguns preparos a fim de garantir um resultado mais confiável. Como, por exemplo:

  • Não ingerir bebida e/ou alimentos de 2 à 4 horas antes do exame;
  • Não ingerir bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores ao exame;
  • Evitar o consumo de alimentos ricos em cafeína (café, alguns chás, chocolates);
  • Urinar antes de realizar o procedimento;

Seguir as orientações do(a) profissional responsável pela realização do seu exame é imprescindível. Pois, caso contrário, há grandes chances de que o resultado seja afetado e não seja possível uma orientação eficaz.

Qual roupa devo usar para fazer o exame?

No geral, o(a) profissional responsável pela realização de seu exame pode solicitar que você use uma roupa leve na hora do procedimento. Isso porque há menos chances de interferir nos resultados apresentados.

Sendo assim, pode ideal que você utilize roupas de ginástica, como shorts e top para mulheres, ou shorts e camiseta para homens.

Por isso, atente-se às instruções do(a) profissional para garantir um resultado confiável.

Quanto custa o exame de Bioimpedância? Onde fazer?

O exame de Bioimpedância pode ser realizado em clínicas, consultórios e até mesmo em academias — desde que com o acompanhamento de um(a) profissional.

Com relação ao valor, pode variar de acordo com a sua localidade, bem como a partir da escolha do(a) profissional e seu segmento (endocrinologia, nutrição, etc). Além de questões como ser realizado de forma particular ou com plano de saúde.

Porém, de forma geral, o exame pode custar a partir de R$70 de forma avulsa. Há também profissionais que o incluem no valor da consulta inicial, podendo chegar a algo próximo dos R$200.

O ideal é sempre buscar um(a) profissional de confiança e seguir sua recomendação.

O exame de Bioimpedância é confiável?

Sim. Se o exame for feito e interpretado por profissionais, o resultado é bastante completo e confiável. Claro, sempre levando em consideração o histórico e objetivos de cada pessoa.

Por isso que, atualmente, já é utilizado por profissionais de diferentes segmentos. Levando em consideração o fato de que une, em um único procedimento, várias informações importantes sobre o estado nutricional do organismo.

Bioimpedância ou adipometria: qual a diferença?

A Adipometria é um exame que avalia a quantidade de gordura existente no tecido subcutâneo, a fim de fornecer uma estimativa da proporção de gordura em relação ao peso corporal.

Basicamente, é utilizado um adipômetro (equipamento em formato de pinça) para medir a espessura das dobras da pele, em milímetros.

Sendo assim, é um procedimento bem diferente da Bioimpedância. Considerando que a Adipometria é um método mais simples por medir apenas um quesito, enquanto que o exame de Bioimpedância visa analisar o real funcionamento do organismo quanto às condições nutricionais.

Com isso, fornece dados completos com relação ao metabolismo e proporções de gordura de acordo com as condições individuais de cada pessoa.

Exames como o de Bioimpedância são muito importantes para quem precisa e/ou quer cuidar da saúde e condições corporais. Isso porque não leva em consideração padrões estéticos, principalmente em processos de emagrecimento.

Pelo contrário, considera as condições reais do organismo e indica o ideal para cada corpo, dentro de suas características individuais.

FazfarmaNet

A FazfarmaNet segue as determinações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Somente o médico está apto a diagnosticar qualquer problema de saúde e prescrever o tratamento adequado Farmacêutico Responsável: Dr. Jonas de Oliveira | CRF/SP - 9384 | CEVS: 354880701-477-000057-1-1 | Autorização MS: 1.37.624-1